postheadericon Recesso!

Amigos, estarei uns dias sem postar por causa da quebra do meu computador, prometo conteúdo novo quando voltar.
Por favor, não deixem de acessar e comentar, mesmo com dificuldades, ainda estamos Entre Amigos!

postheadericon AMAR AS COISAS DESTE MUNDO NOS IMPEDE DE AMAR A DEUS!

37. E, embora tivesse feito tantos sinais na sua presença, não creram nele, 38. para se cumprir a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor? 39. Por isso, não podiam crer, porque Isaías disse ainda: 40. Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos, nem entendam com o coração, e se convertam, e sejam por mim curados. 41. Isto disse Isaías porque viu a glória dele e falou a seu respeito. 42. Contudo, muitos dentre as próprias autoridades creram nele, mas, por causa dos fariseus, não o confessavam, para não serem expulsos da sinagoga; 43. porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus. João 12. 37 – 43.

O texto que acabamos de ler encerra a exposição feita por Jesus de sua pessoa, sua obra e sua divindade, onde ele se expos ao povo, porém não foi compreendido. Daqui por diante se inicia outra etapa dentro deste evangelho, onde Jesus trata do amor que ele tem pelos seus, ilustrada pelo emocionante acontecimento do “lava pés” (João 13. 1-11). Porém entre estas duas partes, esta o nosso texto, onde João traz uma explicação para a incredulidade dos judeus, atribuindo essa incredulidade ao cumprimento da palavra dita por Isaias (Is. 6.10). Daí então vem à luz algo interessante que João faz questão de grafar com clareza ao dizer: “Contudo, muitos dentre as próprias autoridades creram nele”. Vemos aqui que mesmo obscurecidos pelo cumprimento da palavra de Isaias, a luz da glória de Cristo foi mais forte, alcançando os corações de alguns fariseus. Porém o que segue revela algo triste porém comum: “mas, por causa dos fariseus, não o confessavam, para não serem expulsos da sinagoga; porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus”. Os que creram deveriam receber um grande destaque aqui, dado a perseguição e a incredulidade existente naquele povo, porém, eles são colocados na mesma seção daqueles que não creram, perdendo assim o valor de sua fé e crença. Na realidade vemos João expressar uma verdade: “eles amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus”, ou seja, amaram mais a este mundo do que a vida eterna com Deus.

1º) O amor ao mundo nos impede de confessarmos a nossa fé.

“Contudo, muitos dentre as próprias autoridades creram nele, mas, por causa dos fariseus, não o confessavam” (v. 42).

Quando estamos atrelados ao mundo, passamos a ser cúmplices do mundo, a compartilhar do mundo, e a vivermos uma vida de conformidade com as exigências deste mundo. Tão presos desta forma, não conseguimos expressar nossa crença em Deus, isso quando há fé em Deus, por saber que o mundo não aceita essa fé, e que rejeita os que nela se apóiam e a professam. Esse era o caso das autoridades que João descreve. Estes homens acreditaram em Jesus, nos seus atos e até em sua divindade, porém, como o sistema dos fariseus não aceitavam os que assim pensavam e criam, eles preferiram não confessar, para não perderem suas regalias. Quantos dentro da igreja não fazem da mesma forma? Quantos acreditam, gostam, se encantam pelas palavras de Cristo Jesus, mas não tem coragem de mencionar abertamente isso, com medo do que os outros vão dizer. Sabemos que a fé em Cristo exige conduta, bom testemunho e também rompimento com os valores mundanos, sabemos também que para “se dar bem” diante do mundo, é preciso romper com os valores cristãos. O Apóstolo Paulo sabia disto, e muitas vezes sofria com isto, diante da sedução que o mundo imprime sobre o ser humano, ele expressa: “Miserável homem que sou!” (Rm. 7. 24). Como seria bom que nos víssemos assim por algumas vezes, como miseráveis necessitados da glória e da graça de Deus! Há uma tensão muito forte entre nos mantermos de pé ou cedermos ao mundo, e algo que pode nos trazer a vitória é a confissão de nossa fé, expressarmos ao mundo que somos cristãos genuínos, falhos em nossa natureza, mas restaurados pelo sangue de Cristo Jesus. Sem essa confissão, nos será impossível alcançar a salvação, como diz: “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” (Romanos 10.9). O amor ao mundo impediu aqueles homens de irem além na sua vida espiritual, e nos impedirá também se não confessarmos ao Senhor como nosso Salvador e Senhor.

2º) O amor ao mundo nos impede de acertamos o alvo correto.

“para não serem expulsos da sinagoga”

Todos devem ter um alvo na vida, saber para onde vai, o que se quer alcançar na trajetória de sua existência. Na vida de um cristão, o alvo é Jesus, como diz o Apóstolo Paulo: “Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” (Filipenses 3. 13 e 14). Aquelas autoridades estavam diante do verdadeiro Alvo de qualquer vida: Jesus. Eles estavam diante daquele que todos devem seguir, diante daquele que deve ser adorado, mas não seguiram, não adoram, não se renderam. O alvo deles era outro, e João destaca bem isso: “para não serem expulsos da sinagoga”. Eles estavam de olho é no emprego deles, nos seus rendimentos, e acima de tudo, eles estavam de olho nos outros, para saberem o que pensariam deles. O alvo deles eram as coisas deste mundo. Será que isso não acontece conosco? Será que ao invés de mirarmos o Alvo que é Cristo, não estamos com nossa visão presa às coisas e necessidades deste mundo? Temos obedecido a Jesus e seguido o que diz Mateus 6. 33 e 34? “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal”. Essa é uma ordem clara para esquecermos o mundo e focarmos nossos olhos espirituais em Cristo. Quem não acerta sua visão ao alvo correto que é Cristo, atira a sua vida no precipício do inferno, perdendo assim a chance mais preciosa que se tem, que é alcançar a vida eterna. O Senhor Jesus te chama neste momento a acertar sua visão, corrigir seu alvo, e rumar diretamente para a vida eterna, para isso é necessário que você tire seus olhos do que é mundano, e passe a focar o que é eterno: Jesus Cristo.

3º) O amor ao mundo nos impede de ver profundamente a glória de Cristo.

“porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus”

Como eu já disse, aquelas autoridades estavam focados no alvo errado, o que preocupava o coração deles era a sua reputação diante da Sinagoga, e isso lhes impediu de ver algo que estava bem a suas frentes, que era a glória do próprio Deus, revelada em Jesus Cristo. O mundo faz isso com a gente, nos impede de ver a glória de Cristo, que é a revelação do próprio Deus sobre a face desta terra, e o pior, o mundo nos faz muitas vezes acreditar que a nossa glória é maior que a de Cristo. Os homens deste texto acreditaram nisto, de que a glória de homens era melhor para a vida deles do que a glória de Deus, revelada em Jesus Cristo. Será que não temos a mesma visão? Será que não nos agrada mais sermos reconhecidos pelos homens, receber seus favores, suas glórias, do que ser reconhecido eternamente por Deus com Cristo na glória eterna? Para agradarmos a Deus e encontrarmos o Seu Santo favor em nossas vidas, com bênçãos, prosperidade e paz, é necessário deixarmos para trás as glorias deste mundo e buscarmos as glórias vindas de Deus. A palavra nos diz: “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm. 3.23). Esta glória vinda do Pai é necessária para nos conduzir a Salvação e nos atrair até Ele, sem ela, estamos perdidos e sem esperança. Aqueles homens ao lado de Jesus, mesmo percebendo quem Ele era, todo o Seu poder, toda a Sua glória, preferiram ficar com a glória dos homens, glória que não lhes trazia a verdadeira alegria, mas que lhe causava comodidade. Ficaremos nós assim? Deixaremos nós a glória do Deus vivo e eterno, para vivermos a glória de homens corruptíveis e pecadores? De que lado você está? Com qual glória você irá ficar? Onde você passará a sua eternidade?

O mundo nos convida e tenta a todo momento nos seduzir, como fez o diabo diante de Jesus no deserto, oferecendo-lhe glória que não lhe pertenciam e que não poderiam seduzir a um coração rendido a Deus, como fez Jesus que resistiu ao diabo e sua sedução, façamos nós também, alcançando o favor e a benção da glória do nosso Deus.

Soli Deo Gloria!

Rev. José Ricardo Capelari.

postheadericon Eu ainda prefiro o que é eterno!!!

Faço parte de uma rede de intercessores que atuam on-line, ou seja, recebemos pedidos de oração por e-mail, respondemos e mantemos uma atitude de oração por cada um deles, é uma prática interessante, pois chegam pedidos de todas as partes, inclusive internacionais, o que nos possibilita um alcance longo mesmo que virtualmente, e sou sincero, gosto deste ministério!
Os pedidos são variados pois as necessidades são muitas, mas o que me chama a atenção é que a maioria destes pedidos são por coisas materiais ou temporais, sendo que dentro deste grupo, as questões financeiras são as que mais atormentam aqueles que entram em contato conosco. Outra grande carência é na área sentimental, casamentos destruídos, sentimentos desencontrados, mal entendidos e toda uma gama de dificuldade que existe dentro de um relacionamento familiar.
Olhando para cada necessidade, passei a observar o quanto as pessoas "cristãs" estão ainda distantes de entender a mensagem do Reino de Deus propagada por Jesus Cristo no que diz respeito a temporariedade e também a eternidade, o quanto os acontecimentos deste mundo ainda perturbam e aterrorizam a vida das pessoas. Talvez você se diga: "é lógico que as coisas deste mundo nos atingem, nós vivemos neste mundo!"; e se você pensou assim, eu concordo contigo, porém, só concordo em parte, pois uma coisa é sermos atingidos pelas coisas deste mundo, outra é sermos constantemente derrotados, atormentados e desviados dos propósitos de Deus em função ao que acontece no nosso dia-a-dia. Vou explicar melhor. No ato da nossa conversão a Cristo Jesus, algo que é exigido de nós é o nascer de novo, pois é impossível alguém ver a Deus se não nascer novamente (João 3. 3), esse novo nascimento nos torna nova criatura, práticas antigas ficam para trás (2 Corintios 5. 17) e nós passamos a pensar como seres eternos, resgatando assim aquilo que foi perdido na queda de Adão. Esse novo pensamento nos desliga de tudo o que é temporal e nos faz pensar agora prioritáriamente naquilo que é eterno, ou ainda, eu não priorizo situações ou acontecimentos terrenos, mas dou prioridade as coisas eternas, aos fatos eternos, as coisas que não irão se desgastar com o passar do tempo. Vou exemplificar: Em uma hora de doença ou dor eu oro por cura ou por libertação, sempre crendo que Deus pode e irá agir em meu sofrimento, porém, como a palavra mesmo afirma, o Espírito sopra onde quer e atua da forma que quer (João 3. 8), sendo assim, Deus em sua soberania pode ou não atender ao meu pedido de cura ou libertação, e se Ele atende eu cresço na fé e fico feliz (Aleluia!), mas e se Ele não curar? Se não for da vontade de Deus que naquele momento em que eu clame eu seja atendido? O que se faz da minha fé? É nesse momento que se encontra o ponto nevrálgico da mensagem triunfalista que vemos sendo pregada hoje, pois todo o sucesso está associado a resposta que se "espera" de Deus, ou melhor, que se "exige" de Deus, através de "determinações", e se Ele não responde da forma esperada, então se diz que faltou fé. É deste ponto que surgem tantos decepcionados, decaídos e desviados dos caminhos de Deus, tudo porque neste tempo não se recebeu aquilo que se esperava. É daqui que eu parto para te dizer que mesmo que você não receba neste tempo aquilo que você esperava, ainda sim, há esperança, pois o que é eterno está guardado e nisto ninguém pode mexer, sua salvação não se mede pelos fatos ou circunstâncias terrenas, se você espera a cura de um câncer e esta não vem, ainda há esperança pois existe algo maior que é a salvação em Jesus Cristo. Uma cura é maravilhosa, é um milagre tremendo, mas com o tempo acaba, pois o corpo inevitavelmente perece e nós morremos, porém a salvação em Cristo é eterna, não se acaba, não perde o brilho, ai então chego ao propósito desta mensagem, que é te dizer o seguinte: ore por aquilo que é eterno, se alegre com a eternidade, viva como um ser eterno, pois foi para te salvar que Cristo morreu. Quando eu oro e respondo aos pedidos de oração, me preocupo sempre em frisar os valores eternos, buscando focar no que está por vir e não no que está acontecendo, e gosto de mencionar o seguinte: "mesmo que Deus não te responda da forma que você espera, ainda sim Ele é Deus, e nada irá mudar isso, e o que mais importa não é o que acontece no agora, mas o que te aguarda no tempo eterno!".
Quando as lutas baterem a sua porta, quando a insegurança tentar te derrubar, lembre-se da orientação de eternidade que o Senhor Jesus ensina: "Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas." (Mateus 6. 33).
Quero terminar com outro texto bíblico, este proferido pelo Apóstolo Paulo e que diz: "Por isso nunca ficamos desanimados. Mesmo que o nosso corpo vá se gastando, o nosso espírito vai se renovando dia a dia. E essa pequena e passageira aflição que sofremos vai nos trazer uma glória enorme e eterna, muito maior do que o sofrimento. Porque nós não prestamos atenção nas coisas que se vêem, mas nas que não se vêem. Pois o que pode ser visto dura apenas um pouco, mas o que não pode ser visto dura para sempre". (2 Corintios 4. 16 - 18).

Soli Deo Gloria
Pr. José Ricardo Capelari

postheadericon Opine sobre a PLC 122 que trata da Homofobia!

Não diga "não tenho nada a ver" , se podemos manifestar sobre o assunto não perca a oportunidade de exercer sua cidadania, ok?
Como cristão, vote não a aprovação deste projeto.........

O Senado está querendo saber a opinião dos brasileiros sobre o PLC 122 (que castiga toda opinião contrária ao homossexualismo), perguntando se você é a favor ou contra esse projeto. Para votar, vá à enquete deste link:
http://www.senado.gov.br/agencia/default.aspx?mob=0
Os ativistas homossexuais estão votando em massa no “sim”. Ajude a reverter o placar, votando “não” à ditadura gay.
Mobilize-se já! Avise seus amigos e igreja.
Se você quer entender o que é o PLC 122, siga este link:
http://juliosevero.blogspot.com/search?q=PLC+122
Além disso, no site
www.juliosevero.com há um vídeo chamado “Ditadura gay às portas do Brasil”, que mostra a grave ameaça do PLC 122 para toda a população do Brasil.

postheadericon Saia do lugar que limita a tua visão!

1 Então disse o Senhor a Moisés: 2 Envia homens que espiem a terra de Canaã, que eu hei de dar aos filhos de Israel. De cada tribo de seus pais enviarás um homem, sendo cada qual príncipe entre eles.3 Moisés, pois, enviou-os do deserto de Parã, segundo a ordem do Senhor; eram todos eles homens principais dentre os filhos de Israel. 17 Enviou-os, pois, Moisés a espiar: a terra de Canaã, e disse-lhes: Subi por aqui para o Negebe, e penetrai nas montanhas;18 e vede a terra, que tal é; e o povo que nela habita, se é forte ou fraco, se pouco ou muito;19 que tal é a terra em que habita, se boa ou má; que tais são as cidades em que habita, se arraiais ou fortalezas;20 e que tal é a terra, se gorda ou magra; se nela há árvores, ou não; e esforçai-vos, e tomai do fruto da terra. Ora, a estação era a das uvas temporãs.21 Assim subiram, e espiaram a terra desde o deserto de Zim, até Reobe, à entrada de Hamate.22 E subindo para o Negebe, vieram até Hebrom, onde estavam Aimã, Sesai e Talmai, filhos de Anaque. (Ora, Hebrom foi edificada sete anos antes de Zoã no Egito.)23 Depois vieram até e vale de Escol, e dali cortaram um ramo de vide com um só cacho, o qual dois homens trouxeram sobre uma verga; trouxeram também romãs e figos.24 Chamou-se aquele lugar o vale de Escol, por causa do cacho que dali cortaram os filhos de Israel.25 Ao fim de quarenta dias voltaram de espiar a terra.26 E, chegando, apresentaram-se a Moisés e a Arão, e a toda a congregação dos filhos de Israel, no deserto de Parã, em Cades; e deram-lhes notícias, a eles e a toda a congregação, e mostraram-lhes o fruto da terra.27 E, dando conta a Moisés, disseram: Fomos à terra a que nos enviaste. Ela, em verdade, mana leite e mel; e este é o seu fruto.28 Contudo o povo que habita nessa terra é poderoso, e as cidades são fortificadas e mui grandes. Vimos também ali os filhos de Anaque.29 Os amalequitas habitam na terra do Negebe; os heteus, os jebuseus e os amorreus habitam nas montanhas; e os cananeus habitam junto do mar, e ao longo do rio Jordão.30 Então Calebe, fazendo calar o povo perante Moisés, disse: Subamos animosamente, e apoderemo-nos dela; porque bem poderemos prevalecer contra ela.31 Disseram, porém, os homens que subiram com ele: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nos.32 Assim, perante os filhos de Israel infamaram a terra que haviam espiado, dizendo: A terra, pela qual passamos para espiá-la, é terra que devora os seus habitantes; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura.33 Também vimos ali os nefilins, isto é, os filhos de Anaque, que são descendentes dos nefilins; éramos aos nossos olhos como gafanhotos; e assim também éramos aos seus olhos.(Números 13. 1-3; 17-33)

INTRODUÇÃO:

Conta à história que: Um pintinho pergunta para seu pai: - Pai, o mundo termina ali, na cerca? O pai dá uma gostosa gargalhada e diz: - Não, meu filho... o mundo é muito maior do que isso. Venha, vou lhe mostrar uma coisa. Então o galo sobe no telhado mais alto da fazenda e leva seu filhote consigo. O menino fica admirado com aquela nova e magnífica visão do mundo e compreende porque seu pai riu tanto, pois o cercado do galinheiro (que para ele era um mundo), agora era apenas um pequeno detalhe naquela bela paisagem. O galo, então, todo orgulhoso, lhe pergunta: - Está vendo aquelas montanhas lá adiante? - Sim, papai! - Pois é, meu filho, é lá que o mundo termina.
- Uauuuu...
exclamou o pequenino.
Autor desconhecido.

A visão é algo imprescindível na vida de qualquer pessoa. Existem milhares de pessoas que sofrem de algum tipo de distúrbio da visão mas que conseguem levar uma vida praticamente normal. Porém se estas pessoas tivessem suas vistas perfeitas, suas vidas seriam muito mais fáceis e bonitas. Isto acontece em nossa vida espiritual. Se tivéssemos uma visão espiritual perfeita, conseguiríamos mensurar a grandeza de Deus e tudo aquilo que ele tem feito por nós. Porém sofremos do mesmo mal que sofreram os dez espias, companheiros de Josué e Calebe: “Cegueira espiritual”. Por mais que dizemos conhecer a Deus e por mais que pensamos enxergar sua grandeza, ainda sim, estamos com nossa visão espiritual muito limitada, muitas vezes o nosso mundo termina antes da “cerca do galinheiro!”. E é isto que tem tornado nossa vida amarga e feia. No texto bíblico que lemos, vemos um contexto de vitórias, de maravilhas feitas por Deus ao seu povo. Vemos livramentos, curas, sustento milagroso, operação de milagres, cumprimento de promessas, ou seja, um contexto da grandeza manifesta de Deus. Porém aqueles homens não conseguiram enxergar isto, e ainda mais, não conseguiram ver além, suas visões estavam limitadas por “grandes barreiras”. E isto acontece conosco hoje. Muitos aqui não conseguem ver além, porque suas visões estão limitadas por grandes barreiras, mesmo Deus levando-os a lugares mais altos, ainda sim, continuam limitados em suas visões. Neste momento, Deus quer te tirar do lugar que limita a tua visão! Deus que te levar além! Mas para isso, é necessário primeiro você entender e vencer pelo poder do Espírito Santo, todas as barreiras que limitam a tua visão. E existem três grandes barreira que precisamos vencer, por isso:

Saia do lugar que limita a tua visão, vença....

1º -A INCREDULIDADE (falta de fé) – v. 28 e 31.

28 Contudo o povo que habita nessa terra é poderoso, e as cidades são fortificadas e mui grandes. Vimos também ali os filhos de Anaque. 31 Disseram, porém, os homens que subiram com ele: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nos.

A incredulidade é um mau que infelizmente acomete muitos de nós nos dias de hoje! INCREDULIDADE é a falta de Fé; a disposição para não crer (dicionário). E como nós estamos dispostos a não crer! Esta também foi a postura dos dez espias, eles já haviam contemplado grandes coisas feitas por Deus, mas não adiantava, eles estavam dispostos a não crer. A incredulidade é algo que desagrada muito a Deus, tanto desagradou, que foi a causa do povo de Israel não entrar no descanso da terra prometida. (Hb. 3. 18-19). Por serem incrédulos, toda aquela geração deixou de desfrutar das maravilhas de Deus! E aqui estamos nós, que também por sermos incrédulos deixamos de participar das bênçãos de Deus. A incredulidade é uma das maiores barreiras para limitar a visão de uma pessoa. As coisas Espirituais acontecem no âmbito da fé, Hebreus 11 explica isso. Por isso a incredulidade desagrada tanto a Deus, porque a “fé é a certeza das coisas que não se vêm, dos fatos que não se esperam” (Hb. 11.1).e “Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam”. (Hb. 11.6). Ou seja, a fé é o reconhecimento do poder de Deus, da sua provisão miraculosa, da sua ajuda em meio a momentos de crise, mesmo que pareça loucura, é assim que Deus age. Por isso a incredulidade é um limitador feroz da visão espiritual. Porque se não cremos, se não temos fé, como poderemos esperar que um milagre irá acontecer? Como poderemos acreditar na ação de um Deus a quem não podemos ver fisicamente? E muitos sabendo de sua incredulidade, se escondem atrás de desculpas, dizendo que Deus conhece o coração e sabe de sua limitação. Com a incredulidade não é assim que funciona, Cristo condena a incredulidade como pecado: Agora, porém, vou para aquele que me enviou; e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais?Antes, porque vos disse isto, o vosso coração se encheu de tristeza.Todavia, digo-vos a verdade, convém-vos que eu vá; pois se eu não for, o Ajudador não virá a vós; mas, se eu for, vo-lo enviarei. E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo:9 do pecado, porque não crêem em mim; 10 da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais,e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado. (Jo. 16. 5-11). E como eu sei se estou sendo incrédulo ou não? É simples! Se tua fé estiver baseada somente nas coisas que se podem ver, que se podem tocar, se o teu coração se alegra somente com coisas visíveis e palpáveis, você esta sendo incrédulo. “Então Jesus lhe disse: Se não virdes sinais e prodígios, de modo algum crereis”. (Jo. 4.48). E como eu posso vencer a incredulidade? Como eu posso sair deste lugar que limita a minha visão? Através do conhecimento e do ouvir a palavra de Deus: “Logo a é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo”. (Rm. 10.17). Por isso saia do lugar que limita a tua visão, vença a incredulidade.

Saia do lugar que limita a tua visão, vença....

2º -O CORAÇÃO DURO (orgulho) – v. 32.

Assim, perante os filhos de Israel infamaram a terra que haviam espiado, dizendo: A terra, pela qual passamos para espiá-la, é terra que devora os seus habitantes; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura.

Aqueles homens não precisavam ter ido espiar a terra, pois Deus já lhes havia prometido uma terra que manaria leite e mel, porém eles estavam com seu coração duro para o que Deus havia lhes dito, por isso foi necessário irem espiar a terra. Aqueles homens pereceram diante da promessa, e não puderam desfrutar do gozo do Senhor, porque estavam com seus corações duros. Vimos que a incredulidade é um dos maiores limitadores da visão espiritual, porém o que gera a incredulidade é o coração duro. Hebreu 3. 11-7 diz: “Pelo que, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações, como na provocação, no dia da tentação no deserto, onde vossos pais me tentaram, pondo-me à prova, e viram por quarenta anos as minhas obras. Por isto me indignei contra essa geração, e disse: Estes sempre erram em seu coração, e não chegaram a conhecer os meus caminhos. Assim jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso”. Ou seja, o combustível da incredulidade de Israel foi o seu coração duro. E cá estamos nós hoje, endurecendo os nossos corações. Quantas vezes deixamos de receber as bênçãos de Deus por causa de nosso coração duro. Quantas vezes estamos sentados em cima de nosso orgulho, de nossa teimosia, achando que não precisamos de nada e de ninguém, que conseguimos resolver tudo com nossos braços. Passamos a padecer de solidão, tristeza, angústia, e tantas outras coisa ruins por causa de nosso coração duro. Não conseguimos ouvir uma exortação sem sairmos atirando com nossas criticas. Não aceitamos conselhos por causa de nosso coração duro. Não conseguimos mais louvar e adorar a Deus por causa de nosso coração duro. E o pior, é que temos 1001 desculpas para justificar nossa dureza de coração. Dizemos que: a culpa é do irmão que fez algo que não me agradou. Dizemos que a culpa é do pastor, que usou o púlpito para chamar a minha atenção. Dizemos que é da igreja, que não satisfaz os desejos do meu coração. A culpa é de tudo e de todos, menos minha. A palavra de Deus diz: “Feliz é o homem que teme ao Senhor continuamente; mas o que endurece o seu coração virá a cair no mal”. (Pv. 28.14). E aquele que se mantém orgulhoso, que não aceita sombras de mudanças em sua vida, o homem e a mulher que ficam com seus corações duros, encontrarão a ira de Deus contra si: “Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da revelação do justo juízo de Deus”. (Hb. 2.5). Por isso neste momento, o Senhor te chama a quebrantar o seu coração, a confessar diante dEle o seu pecado, a abrir diante dEle a sua vida e a sair deste lugar que limita a tua visão.

Saia do lugar que limita a tua visão, vença....

3º -A DESOBEDIÊNCIA – Cap. 14. 1-4.

“Então toda a congregação levantou a voz e gritou; e o povo chorou naquela noite. E todos os filhos de Israel murmuraram contra Moisés e Arão; e toda a congregação lhes disse: Antes tivéssemos morrido na terra do Egito, ou tivéssemos morrido neste deserto! Por que nos traz o Senhor a esta terra para cairmos à espada? Nossas mulheres e nossos pequeninos serão por presa. Não nos seria melhor voltarmos para o Egito? E diziam uns aos outros: Constituamos um por chefe o voltemos para o Egito”. (Nm. 14.1-4).

Este é o relato da desobediência do povo de Israel. Deus havia lhes mandado possuir a terra, conquistarem a herança dada pelo Senhor. Deus já havia lhes prometido a vitória, a conquista daquela terra, porém eles retrocederam em obedecer ao Senhor, e espalharam por todo o povo a rebeldia, contaminando assim a todo o Israel. Esta desobediência custou caro a Israel, o preço foi de morte. Na historia bíblica vemos alguns relatos de desobediência: Adão e Eva (Gn. 3.6,11); Saul (I Sm. 28.18); Jonas (Jn. 1). Em todos estes casos o final foi trágico. E porque nós ainda hoje andamos em desobediência ao Senhor? Mas pastor, eu não desobedeço a Deus! No que eu desobedeço a Deus? Quando retém a tua mão nos dízimos e nas ofertas: “Desde os dias de vossos pais vos desviastes dos meus estatutos, e não os guardastes. Tornai vós para mim, e eu tornarei para vós diz o Senhor dos exércitos. Mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Vós sois amaldiçoados com a maldição; porque a mim me roubais, sim, vós, esta nação toda. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança”. (Ml. 3. 7-10). Quando julgas ao teu irmão: “Não julgueis, para que não sejais julgados.Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós. E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu?Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão”. (Mt. 7.1-5). Quando provocamos ao Senhor, não crendo nEle: “Disse então o Senhor a Moisés: Até quando me desprezará este povo e até quando não crerá em mim, apesar de todos os sinais que tenho feito no meio dele?” (Nm. 14.11). Entre outras tantas coisas que fazemos. Por isso hoje, é necessário voltarmos a obediência ao Senhor! Voltarmos a seguir a sua vontade, a fazermos aquilo que agrado ao coração de Deus. Pastor, como eu faço? Ore: busque a Deus e peça que Ele te de força para voltar ao primeiro amor; Jejue: busque a santidade do Senhor para a tua vida; Leia a Bíblia: ela é o manual que te ajudará a vencer nestes dias maus. Saia do lugar que limita a tua visão, vença a desobediência!

Deus quer que alcancemos o topo, para que nada limite a nossa visão, para que nada nos impeça de ver a sua grandeza e as suas maravilhas, porém existem barreiras neste mundo, que insistem em crescer diante de nosso olhos para limitarem nossa visão. Neste caso, existem dois tipos de pessoas: as que desistem e se contentam com uma visão limitada e fraca, e os que voltam a Deus, voam com asas como águias, e conseguem contempla um mundo infinito em bênçãos dadas por Deus aos seus filhos. Escolha qual destes você quer ser!

Soli Deo Gloria

Pr. José Ricardo Capelari

postheadericon 3 mil amigos!

Quero agradecer pelas mais de 3 mil visitas ao meu blog. Na realidade sei que foram mais que 3 mil, pois durante um bom tempo o blog Entre Amigos ficou sem contador de visitas, e depois que se começou a contar a visitas, por mais um tempo as visitas foram contadas de forma "equivocada" não revelando realmente quantas visitas eram feitas ao blog, por isso há logo a baixo um contador de visitas dizendo: "Acessos a partir de 01/08/09", e desde desta data, foram feitas em torno de 2 mil visitas, ou seja, em quase um ano de blog, creio que já sejam mais de 3 mil, mas oficialmente fica a contagem que está lá, e o que está lá são 3 mil.
Quero mais uma vez agradecer, desejar felicidades e bençãos a todos os visitantes e dizer que fazer este conteúdo é algo prazeroso, abençoado e que visa abençoar vidas.
Deus os abençõe e quando desejar entre e fique a vontade, você sempre estará Entre Amigos!
Ocorreu um erro neste gadget

Você é nosso visitante

Obrigado!

Seguidores

Voltemos ao Evangelho

Diga não a essa atrocidade!

Diga não a essa atrocidade!
Pedofilia é crime!

Afiliado a UBE



Sociedade Calvinista

Bases da Reforma

Bases da Reforma
Valores da liberdade protestante

Dicionário Hebraico

Tradutor Online
Desenvolvido por Alexandre Rossi. Tecnologia do Blogger.

Siga-me no Twitter

Siga-me no Twitter
twitter.com/_capelari

Vale a pena ler!

  • O Livro mais mal humorado da Bíblia - Ed René Kivitz
  • O discipulado dinâmico - Kuhne
  • Religião, uma bandeira do inferno - Glenio Paranaguá
  • Cruz Credo, o credo da cruz - Glenio Paranaguá
  • Ponha ordem em seu mundo interior - Gordon McDowell
  • Corra com os cavalos - Eugene Peterson
  • Pastoreando a Igreja - Joseph Stowell
  • Liderança em tempos de crise - Charles Swindoll
  • Bíblia Sagrada - Todas edições
  • Revista Ultimato

Click na imagem e ouça a rádio da Igreja Presbiteriana do Brasil

IPB - Rádio & TV

IPB - Rádio & TV
Todas as quartas-feiras pela RTV Canal 10 às 20:00hs para Maringá e região. Click e acesse o conteúdo on line

Conheça a PL 22

NÃO À PL 122