postheadericon ATITUDE!


A palavra atitude significa basicamente o seguinte: a diferença entre o vencedor e o perdedor. Para mim não existe colocação melhor para esta palavra tão rica. Na história bíblica existem inúmeras passagens que revelam vitórias pessoais pela simples tomada de atitude, Ex.: o Apóstolo Mateus, que respondeu prontamente o chamado de Jesus, largando tudo para segui-lo e se tornou um dos homens mais importantes da Bíblia (Lc. 5. 28); o Centurião que teve seu servo curado e ainda com sua atitude recebeu o reconhecimento de Jesus (Lc. 7. 1-9); a mulher que ungiu os pés de Jesus com um perfume caríssimo e obteve o perdão de seus pecados (Lc. 7. 36-50); a mulher com fluxo de sangue, que no meio de uma multidão voraz tocou as vestes de Jesus e foi curada de uma enfermidade de doze anos (Lc. 8. 43-48). Estes exemplos servem para que possamos refletir um pouco sobre quais têm sido nossas atitudes no decorrer de nossa breve vida e para avaliarmos se temos seguido o caminho dos vencedores ou dos perdedores. Será que estamos dispostos a ter a atitude do bom samaritano que estendeu a mão para ajudar seu inimigo e abençoar a quem nos amaldiçoa? (Lc. 10. 25-37). Até onde estamos dispostos a ir? Qual o preço que queremos pagar pela nossa vitória eterna. Diante das dificuldades você para e reclama, colocando diante de si barreiras ainda maiores do que as já existentes, ou busca através de uma atitude firme vencer as dificuldades e conquistar aquilo que parecia impossível? É na postura ou atitude que temos que reside a grande diferença. Se queremos mudanças neste ano que se inicia, devemos começar mudando nossas atitudes, buscando uma nova vida, buscando solucionar os problemas que nos perturbam, tendo a atitude que teve o cego de Jericó de se libertar das cadeias que o prendiam e gritar aos quatro cantos deste mundo: “Jesus, filho de Davi, tem compaixão de mim!”; mesmo com as pessoas ao seu redor tentando silenciá-lo, ele gritou mais alto e mais forte: “Jesus filho de Davi, tem compaixão de mim!” (Lc. 18. 35-43), e Jesus com uma atitude de misericórdia liberta aquele homem da cegueira, alias é somente Jesus que pode nos ajudar, pois foi ele quem teve a maior de todas as atitudes quando ao receber de Deus a maior de todas as missões que era salvar os pecadores, Ele subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai. (Fl. 2. 5-11). E o próprio Jesus nos disse que se tivéssemos fé na menor das quantidades (que podemos chamar aqui de atitude), com certeza nada nos seria impossível (Mt. 17. 20).

Pense nisso: a atitude faz a diferença!

Pr. José Ricardo Capelari

postheadericon Ronaldo e Corinthians, um casamento perfeito!


Na hora da decisão os grandes jogadores crescem, já Ronaldo vira um gigante. Nesse dia 26 de abril é celebrado o dia do goleiro, mas depois da exibição do Fenômeno, bem que a data poderia ser comemorada como 'dia do Ronaldo'. Na primeira partida da final do Campeonato Paulista, o Fenômeno precisou de apenas dois lances para mostrar porque é conhecido desta maneira. No primeiro, Ronaldo aproveitou um chutão da defesa corinthiana, dominou a bola com carinho, ajeitando apenas para finalizar na saída do goleiro. Já o segundo gol...

O segundo gol foi uma pintura, uma obra-prima. Ronaldo recebeu passe no campo de ataque, na entrada da área tirou dois zagueiros da jogada com apenas um corte, e de frente pro gol, percebendo o goleiro adiantado, deu um toque de gênio por cobertura para marcar um golaço.

Com uma atuação fenomenal e um gol de Rei, Ronaldo garantiu a vitória do Corinthians por 3 a 1, aumentou ainda mais a vantagem do Timão para o duelo decisivo, e ficou mais perto de conquistar seu primeiro título com a camisa corinthiana.

postheadericon A VERDADEIRA CONFIANÇA


Você confia em Deus? Se a resposta for sim, quanto você confia? Se o grau de confiança que você tem em Deus for alto, fico muito feliz, porém se for baixo, você se enquadra na turma da maioria dos cristãos do século XXI, pois um grande mal que se alastra hoje em dia no meio da Igreja é a falta de confiança que temos em Deus, haja vista tão grande número de pessoas que deixaram o caminho da confiança e fidelidade ao Senhor, por acreditar que o dízimo fará falta no orçamento mensal, ou que acham que conseguirão sucesso e prosperidade através de seus esforços pessoais e de suas carreiras de “sucesso”.

Quando dizemos confiar em Deus, dizemos que tudo que somos e tudo o que temos está depositado em Suas sagradas mãos, e que o destino de nossas vidas pertence a Deus, sendo assim, confiamos que Deus cuidara de nós, por isso retribuímos a Ele com gratidão e alegria tudo o que Ele tem feito por nós, e a forma para fazermos isto é através dos nossos dízimos e das nossas ofertas. Um dos sinônimos de fé e confiança em Deus é: DIZIMAR. Quando dizimamos dizemos a Deus: “Senhor, minha alma bendiz o teu nome, e eu não me esqueço de nenhum dos teus feitos”. (Sl. 103.2). Ou seja, eu glorifico o nome do Senhor e mostro a todo este mundo frustrado e abatido, que confia somente em si mesmo, que existe um Deus que é Senhor da história e que comanda tudo, que este Deus age e faz maravilhas para todos aqueles que são seus e que confiam nEle. Por isso a partir de hoje, mude sua mente, seu coração e sua atitude, volte ao primeiro amor, retorne ao caminho da graça e retribua com amor, alegria e gratidão tudo o quanto Deus tem feito por você, daí ore da seguinte forma: A benignidade do Senhor jamais acaba, as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto esperarei nele. Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca”. (Lm. 3. 22-25).

Que Deus abençoe sua vida e derrame sobre você graça e paz!

Em Cristo Jesus.

Pr. José Ricardo Capelari.

postheadericon Dilma e seu linfoma!































Há pouco, assisti a entrevista coletiva da Ministra Dilma Rousseff, relatando em rede nacional a sua luta contra um câncer, um linfoma. Me compadeço da doença da ministra, como me compadeço de todo ser humano que passa por uma situação destas, pois eu já passei pelo terror do combate ao câncer, quando acompanhei meu pai que faleceu vitimado pela doença, por isso, mais uma vez, reafirmo meu compadecimento a situação a doença de Dona Dilma. Mas quero ressaltar algo que observei. Ao assistir a entrevista, notei uma conotação politiqueira por parte da ministra, dizendo-se fortalecida por ser mais uma entre milhões de brasileiro que enfrentava o câncer com a certeza de sair vencedora desta doença. Achei interessante, pois a ministra está enfrentando sua luta, amparada pela equipe do Hospital Sírio-Libanês, um dos lugares mais bem equipados do mundo, porém um dos mais caros, se não, o mais caro do Brasil, objeto de poucos, acessível a somente uma gama infima da população de milhões, aos quais a Dona Dilma se comparou. Como já disse, acompanhei meu pai no tratamento do câncer, acompanhei também um tio meu, acompanhei outras pessoas que enfrentaram o câncer, todos amparados pelo SUS (sistema único de saúde), tendo de enfrentar imensas filas, tendo de acordar cedo, se locomover de município menores para os maiores, pois são poucos lugares que oferecem tratamento específico para doenças graves como o câncer, por isso, observar a Ministra se comparar a milhões de brasileiros, sofredores, desmerecidos, humilhados, soa aos meus ouvidos, como uma artimanha politica e mal intencionada, e não como um desabafo ou pedido de ajuda, de mais um brasileiro (a) que se encontra doente.
Tenha santa paciência!

postheadericon A vitória só vem para os vencedores!

Parece óbvia essa minha afirmação, mas quando eu te explicar você vai ver que não é bem assim. Estou lendo Neemias, já falei dele em outras pastorais, mas a cada leitura, a cada estudo, fico mais impressionado com a vida deste homem. Neemias era copeiro do rei, função nobre e de grande destaque na época por dar a seu portador o privilégio de estar constantemente com o rei, conversando com ele, muitas vezes ouvindo sua idéias, outras aconselhando e ponderando com o rei, mas Neemias tinha um chamado de Deus para a sua vida que era reconstruir os muros de Jerusalém, algo que parecia impossível a qualquer homem, Neemias poderia muito bem ter ficado no seu canto, poderia ter continuado como copeiro do rei, mas não, Neemias foi atrás de construir o que parecia impossível. Atitudes assim só tem quem é um vencedor, e vitórias colossais como esta só obtém quem tem espírito de vencedor como tinha Neemias. Meus queridos, uma grande verdade que tenho observado é que muitos crentes não têm espírito de vencedor, são derrotados espirituais, pessoas que não conhecem o Cristo vencedor, mas que querem viver uma vida de vitórias, querem triunfar sobre satanás, mas na realidade são grandes perdedores, seus espíritos não tem o verdadeiro fôlego da vida. Vejo crentes que não sabem orar, que não aceitam as leis de Deus, que só querem ir a Igreja aos Domingos e mesmo assim ainda se acham ocupados demais, com tempo insuficiente para trabalhar para Deus, preferem manter seus "status" a sair de forma corajosa e fazer a vontade de Deus. Como tem sido escasso o nome daqueles que estão ouvindo e aceitando o chamado de Deus para suas vidas, me lembro que há um tempo, homens e mulheres largavam "tudo", amados, largavam "tudo" mesmo para ir e servirem a Deus, mas o que vejo hoje são pessoas medrosas que preferem ficar nos seus lugares a assumir uma postura de serviço no reino de Deus – misericórdia! Isso anda acontecendo dentro da Igreja. Agora reflitam: como pessoas assim podem obter a vitória vinda de Deus?

Neemias tinha espírito de vencedor, e você?

Neemias teve grandes vitórias, e você?

Reflita, e se possível, mude sua vida!

Estarei orando por você!

Pr. José Ricardo Capelari

postheadericon Dia das Mães

Estamos próximo de mais um dia das mães, para o comércio um verdadeiro oásis no meio do deserto da crise financeira mundial, pois esta é uma das melhores datas para as vendas, depois do natal. Mas será que este dia merece somente uma conotação comercial? Será que uma mãe merece ser lembrada somente no segundo domingo de maio? Será que uma "batedeira", um "liquidificador", um bouquet de rosas, são suficientes para alegrar o coração de uma mãe?
Creio que uma mãe mereça mais que um presente material, uma mãe precisa de respeito, de reconhecimento, de obediência por parte de seus filhos, uma mãe precisa ser amada, para que o seu dia seja realmente seja perfeito.
Faço um apelo aos filhos: antes de um presente, ame sua mãe, respeite-a, obedeça-a, e tenho certeza que o restante será um mero detalhe, um complemento para dar mais brilho a alegria dela.

postheadericon Corinthians X Santos

O Paulistão chegou a final, mais uma vez o formato de "mata-mata" mostra a sua força na cultura brasileira, as semi-finais foram um sucesso de público, tudo por causa do formato tão consagrado usado na disputa dessa fase final. Sei que muitos dirão que o formato de "pontos corridos" é o mais justo, porém, sem sombra de dúvidas, o melhor sistema, o mais emocionante, mais empolgante, que faz o "sangue ferver" é o "mata-mata". Mas estamos aqui pra falar de Corinthians e Santos, dos quatro semfinalistas, eram os dois menos cotados, apesar de eu ter ouvido alguns comentaristas falarem que seriam estes dois que chegariam a final, e chegaram, agora é o "tudo ou nada", sou corinthiano, apaixonado, roxo, porém confesso o meu receio de enfrentar o Santos em uma fase final, mesmo depois daquele histórico 7X1,do dia 6 de novembro de 2005, tarde de Tevez, mas também me lembro de 2002, 2x0/3x2, pedaladas, Rogério desconcertado, e Robinho tomando a tarde para si, por isso Corinthians e Santos tem tudo para ser surpreendente. Hoje temos Ronaldo, Neymar, Felipe e Fábio Costa, espero meu coringão campeão, mas não me surpreendo se o peixe mais uma vez nos for indigesto!
Estado parental
Rubem Amorese

Vivemos a era dos especialistas. Com o crescimento do conhecimento, desapareceram aqueles sábios que dominavam todo o conhecimento. A ciência se multiplicou e os especialistas se aprofundam em fragmentos. Acho que não pode ser diferente. Não é possível saber tudo no mundo pós-moderno.

Quando algum problema foge ao nosso conhecimento, recorremos aos especialistas. Porém, quando estes chegam ao poder, tendem a querer gerir a coisa pública a partir de sua área de concentração. É o caso dos nossos ministros de estado -- do nosso governo, em geral. Muitos não resistem à tentação de impor sua perspectiva à sociedade, tentando recriá-la à sua imagem.

Na revista “Cristianismo Hoje” (edição 8, ano II, p. 10) lê-se que o pastor americano Barry Barnett Jr. pode ser preso por dar duas palmadas em seu filho de 12 anos. Ele foi denunciado por assistentes sociais da escola do garoto, apesar dos protestos do próprio menino, que confessava ter desobedecido ao pai. Pai de outros oito filhos, Barry só foi liberado após pagar fiança de 10 mil dólares e está sendo processado por abuso físico contra menor. Pode pegar até três anos de cadeia e, como medida liminar, está impedido de impor qualquer disciplina aos filhos.

No dia da audiência, uma de suas filhas, de 21 anos, ficou do lado de fora do tribunal, com um cartaz que dizia: “Obrigada, papai, por me disciplinar”.

Pobre Barry! Encontrou especialistas pela frente, numa área que supunha conhecer bem: a criação de filhos. Bateu de frente com alguém que “sabe como ele deve educar uma criança”. Aliás, tenho a impressão de que temos muitos desses por estas bandas. Gente que é capaz de, por exemplo, dizer ao governo da Itália que eles não sabem distinguir entre um assassino e um ativista político.

Temos visto reportagens sobre jovens que jogam álcool e ateiam fogo em índios e mendigos; matam crianças a golpes de caratê; abatem a tiros professores em sala de aula. O interessante é que a maioria deles são jovens de classe média -- eu ousaria dizer, filhos de especialistas.

Tornou-se lugar-comum perguntar, nesses momentos, pela família. Como que a dizer que toda essa loucura, sem causa aparente, só pode ser falta de família.

Acho que a pergunta faz sentido. Sem uma família estruturada, a mocidade sofre da síndrome do escorpião: quando a esperança se vai, resta-lhe dar picadas mortais em quem está à sua volta e depois em si mesma. “É a vida.”

Eu gostaria de saber como são as famílias daqueles assistentes sociais que denunciaram o pastor Barnett. Melhor, eu gostaria de saber como são as finanças pessoais dos nossos ministros da área econômica, ou como são as relações familiares dos nossos psicólogos e sociólogos de plantão. Eu gostaria de saber como é, como pai, o nosso presidente.

Quando não nos deixarem mais educar nossos filhos de acordo com a Palavra de Deus, estarão gestando uma horda de delinquentes. Os nossos filhos acabarão por se parecer com os deles, apesar de sabermos que “a vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe” (Pv 29.15).


Rubem Amorese é consultor legislativo no Senado Federal e presbítero na Igreja Presbiteriana do Planalto, em Brasília. É autor de, entre outros, Louvor, Adoração e Liturgia e Fábrica de Missionários.
ruben@amorese.com.br.

postheadericon Porque eu ainda celebro a Páscoa?


Mateus 26. 17-19; 26-30:

17 Ora, no primeiro dia dos pães ázimos, vieram os discípulos a Jesus, e perguntaram: Onde queres que façamos os preparativos para comeres a páscoa? 18 Respondeu ele: Ide à cidade a um certo homem, e dizei-lhe: O Mestre diz: O meu tempo está próximo; em tua casa celebrarei a páscoa com os meus discípulos. 19 E os discípulos fizeram como Jesus lhes ordenara, e prepararam a páscoa.

26 Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, abençoando-o, o partiu e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. 27 E tomando um cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; 28 pois isto é o meu sangue, o sangue do pacto, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados. 29 Mas digo-vos que desde agora não mais beberei deste fruto da videira até aquele dia em que convosco o beba novo, no reino de meu Pai. 30 E tendo cantado um hino, saíram para o Monte das Oliveiras.

A páscoa é uma das maiores celebrações do nosso calendário. Não há crença cristã que não celebre este momento da história. Porém, com o advento de novos tempos, com a “liberdade” que fomos adquirindo no dia-a-dia, passamos a ter algumas práticas que não condizem com esta festa. Tanto a páscoa, como o Natal, foram acrescentados com costumes que tiram o verdadeiro foco destas celebrações. No natal, vemos a celebração do consumo, e assim o comércio e muitas pessoas celebram “Papai Noel” e não Jesus. E agora estamos na páscoa, a celebração da “morte” e da “ressurreição” de Jesus Cristo, na realidade, a celebração da garantia que temos da “vida eterna” pela morte e ressurreição de Jesus. Porém, muitos não conhecem este significado, e celebram o “coelinho” da páscoa, que na madrugada de sábado para domingo, deixa um ovo de chocolate debaixo da cama das criancinhas “obedientes”. Outros ainda celebram um feriadão, a oportunidade de ficar mais tempo descansando e festejando com os familiares que dificilmente se encontram. E é assim que muitos celebram a páscoa. E desta forma, esta festa cristã perde seu real valor e sentido no coração das pessoas. Mas e você? Porque você ainda celebra a páscoa? Qual o significado dela na sua vida? Eu quero te mostrar a luz da Bíblia, porque você ainda deve celebrar a páscoa.

1º) ELA ME LEMBRA QUEM EU SOU! (v 18).

“Respondeu ele: Ide à cidade a certo homem, e dizei-lhe: O Mestre diz: O meu tempo está próximo; em tua casa celebrarei a PÁSCOA com os meus discípulos”. (v 18)

Jesus manda seus discípulos prepararem a páscoa. A páscoa para os judeus é a celebração dos pães asmos, em lembrança da saída do Egito, onde eles não tiveram tempo nem para levedarem a massa com fermento, e tiveram que sair as “pressas”. Durante esta época, removia-se qualquer sinal de levedura das casas, sinal de purificação da podridão do pecado. A páscoa era um chamado a santidade, a purificação, um chamado a renovação. E este significado judaico nos mostra a realidade de quem somos e o que a páscoa deve produzir dentro de nós. A Bíblia nos diz: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. (Rm. 3.23). A páscoa me lembra que sou pecador, me lembra que diante de Deus não sou nada, me lembra da minha condição e do destino que o pecado me reserva. A páscoa me mostra que minha condição não é de glória, mas de pecador, que está destituído da graça de Deus. A páscoa me mostra que o pecado tenta dia após dia me escravizar, que o pecado tenta tomar conta da minha vida, que o pecado tenta ser o senhor da minha alma. Por isso Jesus vai celebrar a páscoa com aqueles homens, para lembrá-los que suas vidas estavam vazias e que eles precisavam de um salvador, precisavam da ação do messias em suas existências. A páscoa deve produzir em nós um desejo profundo de Jesus, um desejo de limpeza, de pureza, de santidade. A páscoa deve produzir em nós um desejo de mudança, de nova vida. Quando o homem deixa de lado este significado da páscoa, ele deixa de lado a importância do sacrifício de Jesus, que morreu na cruz por aqueles que são pecadores e precisam da regeneração. Quando deixamos de lado este significado, nos tornamos arrogantes e mais transgressores do que já somos. “Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós”. (I Jo. 1.8). A páscoa me leva a entender a real necessidade que eu tenho de um salvador. De um Deus que me livre dos meus pecados e me leve a compartilhar de sua graça e gloria eterna. Então entendo que....

2º) ELA ME LEMBRA QUEM JESUS É! (vv 26-28).

“Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, abençoando-o, o partiu e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. E tomando um cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; pois isto é o meu sangue, o sangue da NOVA ALIANÇA, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados”. (vv. 26-28).

Quando eu entendo e reconheço quem sou, e a necessidade que eu tenho de um salvador, a páscoa me lembra quem Jesus é. E quem é Jesus? Quem é o Cristo? Jesus era um nome comum nas épocas bíblicas. A história destaca que existiam por volta de 200 “Jesuses” nos primeiros anos da era cristã, e há relatos de que uns tinham até o ofício religioso. Mas nós cremos no Jesus “CRISTO”. O título Cristo não era o sobrenome de Jesus. Cristo significava “O UNGIDO” - aquele que foi enviado por Deus, sendo ele mesmo o “próprio Deus” para tirar o pecado do mundo! Eu ainda celebro a páscoa porque ele me lembra quem Jesus é: o messias prometido, o príncipe da paz, o salvador do mundo, aquele que me limpa dos meus pecados. E quando eu reconheço quem é Cristo, eu encontro minha salvação, eu encontro o verdadeiro sentido da vida. “Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelou, mas meu Pai, que está nos céus.”. (Mt. 16. 16-18). Quando eu reconheço quem é Cristo, eu passo a ter parte com Deus. A páscoa me lembra que Jesus é salvação; que Jesus é a minha esperança de vida eterna; que Jesus é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. (Jo. 1. 29). A páscoa me lembra que Jesus é o único e suficiente salvador; que Jesus é a esperança dos homens, a alegria suprema que podemos sentir. O mundo busca esquecer que um Deus se fez homem e morreu por cada um de nós. Este sacrifício é grandioso demais para que os homens possam compreender. Mas quando eu entendo a páscoa, eu posso celebrar a vida, pois Jesus é para nós a vida, a verdadeira vida. A palavra nos fala: “eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo. 10.10). Celebrar a páscoa é celebrar a vida, é celebrar Jesus, que nos presenteia com a vida eterna, com a sua salvação! Isso não é melhor que ganhar ovos de chocolate? Isso não é melhor que um feriadão com a família? Vamos hoje celebrar a verdadeira páscoa, as páscoa que me lembra Jesus como o Cristo, como o “Ungido”, como o salvador da minha vida.

Eu devo celebrar a páscoa por que:

3º) ELA ME LEMBRA QUEM SOU EM JESUS! (II Co. 5. 17-21).

“Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação; pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores por Cristo, como se Deus por nós vos exortasse. Rogamo-vos, pois, por Cristo que vos reconcilieis com Deus. Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus”. (II Co. 5. 17-21).

Em cristo Jesus eu e você fomos feitos “nova criatura”, e sendo assim, Cristo nos deu um ministério, o da “reconciliação”. Como vimos, ainda celebramos a páscoa porque ela nos lembra quem somos: pecadores que precisam de Jesus. Ainda celebramos a páscoa porque ela me lembra quem Jesus é: “o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo. 1. 29). Ele é o motivo da nossa salvação! E depois disto tudo, eu celebro a páscoa porque em Cristo Jesus sou nova criatura. Em cristo Jesus eu tenho a nova vida. E esta nova vida me leva a uma missão, a missão da reconciliação. E a tarefa de pregar a Cristo a todas as pessoas, de mostrar a elas que existe um salvador, que a páscoa faz sentido, e que nada tem haver com o coelinho da páscoa. Agora em Cristo, pregamos que existe um “Deus que amou o mundo de tal maneira, que deu o seu único filho, para todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha vida eterna”. (Jo. 3.16). Nós agora somos a semelhança de Cristo, agora somos seus embaixadores (v. 20); porque nEle nascemos de novo. Agora também em Cristo, fomos feitos a “justiça de Deus”, ou seja, a justiça feita pelo ato da morte de Jesus, agora nos é dado, pois com ele morremos e também com ele vivemos agora em glória eterna. Assim celebramos a páscoa em Cristo Jesus. Não mais presos, nem mortos, muito menos ainda desesperançados. Em cristo Jesus, sei quem sou: “Eu sou nova Criatura!”

A páscoa é o maior movimento dos céus contra o inferno, é a marcha dos vitoriosos, é a data que devemos celebrar solenemente com amor e contrição profundos dentro do nosso coração. Celebrar a páscoa é a atitude mais atual, mais moderna e mais necessária para aqueles que são chamados filhos de Deus.

Soli Deo glória!

Rev. José Ricardo Azevedo Capelari.

postheadericon Até onde irão?


Nestes últimos dias temos sido confrontados com notícias de violência de pais contra filhos, principalmente violência sexual, também estão envolvido padastros, tios, avôs e amigos das famílias, que aproveitam a proximidade da criança, para cometerem atos hediondos, reprováveis ao extremo. Já não bastasse isso, há ainda, o envolvimento do clero, de religiosos com este ato, que tanto nos enoja, e nos faz sentir mal diante destes fatos.
Mas porque isso acontece? Porque há um processo de aceleração e de acumulo em tão pouco espaço de tempo deste tipo de atitude?
Observando a palavra de Deus, lembrei do texto que o Apóstolo Paulo escreve aos Romanos no capítulo 1, dos versos de 21 ao 32 que diz: "21 porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. 22 Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos, 23 e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. 24 Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem os seus corpos desonrados entre si; 25 pois trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que ao Criador, que é bendito eternamente. Amém. 26 Pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; 27 semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro. 28 E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento depravado, para fazerem coisas que não convêm; 29 estando cheios de toda a injustiça, malícia, cobiça, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, dolo, malignidade; 30 sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes ao pais;
31 néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, sem misericórdia; 32 os quais, conhecendo bem o decreto de Deus, que declara dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam".
O Apóstolo Paulo fala aqui da conduta rebelde da raça humana, manifesta na vida de alguns homens e mulheres, que deixam de lado a Deus, seus atributos e sua ordens, para fazer suas próprias vontades, desta forma, deixaram de adorar a Deus, adorando assim a outros deuses, estatuas, cultuando a criatura ao invés do criador. Deus, que é justo sempre, que nunca falha, entregou esta raça as suas próprias vontades, permitiu que vivessem segundo seus desejos carnais, liberou-os para fazerem o que desse em suas "telhas", dai o resultado que vemos hoje, uma humanidade incapaz de controlar-se, passivel das atitudes mais horrendas, ordinárias, egoistas. Essas pessoas mudaram o costume natural do ser humano, permitindo homem se relacionar com homem, mulher se relacionar com mulher, e pessoas sem o menor escrúpulo cobiçar e violentar crianças indefesas, inocentes.
A humanidade sem Deus, também é sem controle, sem limites, sem vida, sem graça. Quanto mais afastados de Deus, mas próximos estão da maldade, da incredulidade, dos atos hediondos. Sem cultuar a Deus, essa sociedade cultua a si mesma, achando-se no direito de ser reverenciada, assumindo uma personalidade doentia, maquiavélica, arrogante, destrutiva.
Até onde irão?
Se continuar assim, com certeza irão para o inferno!
Acreditando na graça...sempre!
Rev. José Ricardo Capelari
Ocorreu um erro neste gadget

Você é nosso visitante

Obrigado!

Seguidores

Voltemos ao Evangelho

Diga não a essa atrocidade!

Diga não a essa atrocidade!
Pedofilia é crime!

Afiliado a UBE



Sociedade Calvinista

Bases da Reforma

Bases da Reforma
Valores da liberdade protestante

Dicionário Hebraico

Tradutor Online
Desenvolvido por Alexandre Rossi. Tecnologia do Blogger.

Siga-me no Twitter

Siga-me no Twitter
twitter.com/_capelari

Vale a pena ler!

  • O Livro mais mal humorado da Bíblia - Ed René Kivitz
  • O discipulado dinâmico - Kuhne
  • Religião, uma bandeira do inferno - Glenio Paranaguá
  • Cruz Credo, o credo da cruz - Glenio Paranaguá
  • Ponha ordem em seu mundo interior - Gordon McDowell
  • Corra com os cavalos - Eugene Peterson
  • Pastoreando a Igreja - Joseph Stowell
  • Liderança em tempos de crise - Charles Swindoll
  • Bíblia Sagrada - Todas edições
  • Revista Ultimato

Click na imagem e ouça a rádio da Igreja Presbiteriana do Brasil

IPB - Rádio & TV

IPB - Rádio & TV
Todas as quartas-feiras pela RTV Canal 10 às 20:00hs para Maringá e região. Click e acesse o conteúdo on line

Conheça a PL 22

NÃO À PL 122