postheadericon Tudo é consequência!

Nos acostumamos com o rítmo frenético do dia-a-dia, não temos tempo para mais nada, nossas agendas aguardam compromissos que ainda serão daqui há meses. Nos acostumamos também com a ideia de que isso é normal, que as coisas são corridas assim mesmo, que tudo é desta forma, e que é desta forma que o sucesso chegará em nossas vidas, ou seja, nos atarefando cada dia mais, alimentamos a idéia de que um dia seremos felizes, realizados, que teremos paz para desfrutar o futuro e tudo aquilo que adquirimos com nossa "loucura" cotidiana. A realidade é que queremos enriquecer, obter sucesso, queremos ser admirados pelos outros por aquilo que temos, por nossas conquistas, por nossos bens. Uma casa, um carro, uma viagem ao exterior, tornou-se o objetivo de vida de muitos, uma carreira de sucesso, que obtenha a admiração alheia é nossa razão de viver. Esse frenesi pela grandeza, tomou conta da sociedade como um todo, tanto de não crentes como de crentes, ou seja, dentro e fora da igreja é tudo muito igual, tanto é que, os outrora vocacionados para o pastoreio, os que antes eram denominados simplesmente de pastores, ministros do evangelho, agora são Apóstolos da fé, constituem ministérios internacionais, com sedes enormes, pompozas, verdadeiras catedrais modernas, tudo para tenta satisfazer  o desejo de algo mais, de grandeza e de poder. Pessoas investem suas vidas para alcançar tudo isso, se desgastam, se esforçam, comprometem suas famílias, seus relacionamentos, tudo em nome do sucesso, do reconhecimento, do aplauso da multidão, investem toda a sua vida em realizar sonhos extremamente volúveis, terminais.
Esse cenário, esse quadro, não é novidade na história humana, um grande rei chamado Salomão já viveu tudo isso, com uma intensidade monstruosa, e num determinado momento, ao olhar para tudo o que havia conquistado, para todo o seu poder, para toda a sua glória humana, ele dispara uma frase, um pensamento, um sentimento, que deveria servir de alerta para todos nós, ele diz: "tudo é vaidade, e correr atrás do vento". Salomão descobre pela angustia que batia em seu coração, após conquistar tudo o que um ser humano podia ter, que essa "sangria desatada", essa "loucura" cotidiana, não passava de vaidade, de uma corrida inútil e sem sentido. Salomão descobre, como nós precisamos descobrir, que tudo o que ele precisava para ser feliz, que toda a sua realização, seria consequência de um só ato, de uma só atitude - a de tributar honra e glória a Deus.
O SENHOR Jesus, ao perceber a angustia do ser humano por riquezas, por bens, por ser feliz, dá a seguinte orientação: "Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer? ’ ou ‘que vamos beber? ’ ou ‘que vamos vestir? ’ Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas". (Mateus 6. 31-33). Ou seja, tudo é consequência da nossa adoração a Deus, se nos preocupamos em glorificá-lo com nossas vidas, se nos preocupamos com Seu Reino, Ele irá se preocupar e agir por nós. Isso não acontece por uma troca, ou por barganha, não é isso, é na realidade, a consequência da glorificação a Deus, e as coisa vão acontecendo naturalmente na vida dos filhos de Deus.
Tudo é consequência na vida dos Filhos de Deus, ou seja, você não precisa se desgatar com coisas que irão se acabar, você não precisa correr atrás do vento, o que você precisa, é se preocupar com a glória de Deus, promovê-la nos seus negócios, nos seus estudos, nas suas tarefas, nas suas atitudes, e as demais coisas Deus irá acrescentar na sua vida, com abundância, sem desgastes, sem ansiedade, pois o SENHOR é um Deus fiel, e supre as necessidades daqueles a quem Ele ama, neste caso, você!
Se você serve de coração ao SENHOR, se você O ama, se você se preocupa em glorificá-lo, tudo o que você precisa será consequencia desta sua atitude.
Pense nisto.
Em Cristo.
Pr. José Ricardo Capelari

postheadericon Você foi feito para viver em família!

TEXTO: Marcos 10. 2 – 12.

2. E, aproximando-se alguns fariseus, o experimentaram, perguntando-lhe: É lícito ao marido repudiar sua mulher? 3. Ele lhes respondeu: Que vos ordenou Moisés? 4. Tornaram eles: Moisés permitiu lavrar carta de divórcio e repudiar. 5. Mas Jesus lhes disse: Por causa da dureza do vosso coração, ele vos deixou escrito esse mandamento; 6. porém, desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. 7. Por isso, deixará o homem a seu pai e mãe [e unir-se-á a sua mulher], 8. e, com sua mulher, serão os dois uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne. 9. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem. 10. Em casa, voltaram os discípulos a interrogá-lo sobre este assunto. 11. E ele lhes disse: Quem repudiar sua mulher e casar com outra comete adultério contra aquela. 12. E, se ela repudiar seu marido e casar com outro, comete adultério.
Nos dias atuais, os valores da família como preceitua a Bíblia e também como reza a Constituição Federal, Capítulo 7, artigo 226, estão sendo deturpados, esquecidos e atropelados.
Também hoje, apregoa-se aos quatro cantos que o homem não precisa de ninguém, que deve se entregar aos princípios narcisistas que dizem que o indivíduo por si só se basta.
A verdade é que precisamos resgatar a família, precisamos nos levantar, defender a família, precisamos entender que no projeto divino, você foi feito para viver em família.
Para aprofundar um pouco mais esse entendimento, falaremos disto neste momento:
TRANSIÇÃO:
Você foi feito para viver em família, pois:
ARGUMENTAÇÃO:
1º) FAMÍLIA É PROJETO DE DEUS.
“Por isso, deixará o homem a seu pai e mãe [e unir-se-á a sua mulher], e, com sua mulher, serão os dois uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem.”
(vv 7-9)
Vemos nesta palavra a transcrição do que foi dito na lei dos antigos, nas primeiras ordenanças de Deus para seus servos, quando o SENHOR mandou que seus filhos desbravassem a terra, Sua criação.
Ou seja, desde os primórdios, Deus revela aos seus que o Seu projeto se revela através da família, ou seja, tendo a família como instrumento, como canal de benção para as nações, para os povos.
E neste texto que lemos, vemos que Jesus ordena de forma clara, para que seus filhos constituíssem famílias, clãs, que unidos seriam fortes, e suportariam todas as adversidades e lutas que poderiam surgir.
A família faz parte do projeto de Deus para a sua criação. Ela é um instrumento valioso na obra de Deus sobre a face da Terra.
O problema, é que maquinados e orquestrados por satanás, os seres humanos estão deixando esse projeto de lado, estão desvalorizando algo que para Deus é importante demais.
Como filhos de Deus, devemos retomar esta visão de que a FAMÍLIA É PROJETO DE DEUS, e desta forma, levarmos adiante este estandarte, desbravando as fronteiras, resgatando vidas para o SENHOR através da família.
Esse projeto de Deus é para a sua vida também, mas é para ser vivido de forma intensa, plena, feliz, honesta. Para compartilhar com as pessoas que Deus lhe concedeu como companheiros, como família.
Você foi feito para viver em família, pois para a sua vida, FAMÍLIA É PROJETO DE DEUS.
Você foi feito para viver em família, pois:
2º) É EM FAMÍLIA QUE SOMOS COMPLETOS.
“serão os dois uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne.” (v 8)
Outra verdade que justifica sua existência em família, é que só em família você é completo, ou seja, só em família você alcança sua plenitude, alcança todo seu potencial, se torna um poderoso instrumento nas mãos de Deus.
Jesus ressalta o plano de Deus, para que o homem não seja só, pelo contrário, seja unido a uma auxiliadora idônea, como relata o escritor em Gênesis: “Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea”. (Gn. 2. 18).
O ser humano só é completo quando está unido a sua família. O homem só é completo quando está unido a sua esposa, a mulher só é completa quando está unido ao seu esposo.
Jesus ressalta que ao encontrar seu cônjuge, o indivíduo passa a ser uma só carne com essa pessoa, completando-se, fortalecendo-se, alcançado seu potencial máximo.
Há muitas pessoas que contrariam essa ideia, muitos baseados inclusive numa interpretação errônea do Apóstolo Paulo, em I Coríntios 7, sem buscar conhecer e respeitar o contexto no qual o texto foi escrito, com muitas perseguições, necessidade de agilidade para a divulgação do evangelho, e a necessidade de disposição de tempo e recursos para atuar na causa.
A verdade é, que quando o homem e a mulher vivem em família, eles refletem a vontade de Deus para o mundo, simbolizando a união de Cristo com a sua Igreja, do noivo com a noiva, das núpcias celestiais.
Mesmo que não seja em matrimonio, ainda sim, é necessário que o individuo conviva com os seus, com seus parentes, com os seus consanguíneos, com as pessoas ligadas afetivamente e historicamente a ela.
É como diz Eclesiastes 4. 9 – 12: “Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante. 11 Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará?Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade”.
Se você quer sentir-se completo, busque o convívio em família, só assim você vencerá a solidão e viverá plenamente.
Você foi feito para viver em família, pois:
3º) É EM FAMÍLIA QUE SOMOS FELIZES.
Por causa da dureza do vosso coração, ele vos deixou escrito esse mandamento....E ele lhes disse: Quem repudiar sua mulher e casar com outra comete adultério contra aquela. E, se ela repudiar seu marido e casar com outro, comete adultério. (VV 5; 11 e 12)
A última justificativa para entendermos que fomos feitos para viver em família, é que somente somos verdadeiramente felizes, quando cultivamos a família, o ambiente familiar, e a estrutura familiar.
Jesus ressalta que dissolver a família é uma atitude de rebeldia, de dureza de coração, que consiste em pecado, e daí surge uma pergunta: quem consegue ser feliz assim? Quem consegue se sentir bem em rebeldia com Deus?
Como sabemos, família é projeto divino, é do coração de Deus, e dissolve-la, maltrata-la, descuidar-se dela, é algo que foge da vontade do SENHOR.
Devemos lutar pela união e a força da família, devemos nos envolver para que não somente a nossa casa, mas as outras diversas casas ao nosso redor estejam bem.
Não adianta somente a nossa casa estar bem, pois como já sabemos, não somos felizes sozinhos. Nossa casa deve estar bem, mas a casa de nossos amigos, vizinhos e parentes devem estar bem também, e nosso esforço é imprescindível para isso.
Faz parte da nossa missão neste mundo, do cumprimento da vontade de Deus, que nós batalhemos pela vitória da família. O diabo tentará a todo custo derrubar a família, porém cabe a nós lutarmos, e pelo poder de Cristo vencer todo mal contra as famílias.
A vitória é nossa, Cristo já nos garantiu, tomemos posse desta vitória e caminhemos felizes em família, Deus é por nós!
CONCLUSÃO:
Fica claro para nós, que o SENHOR ama a família, amemos nós também esse projeto de Deus, lutemos por ela e sejamos felizes dentro dela.

Em Cristo.
Soli Deo gloria.
Rev. José Ricardo Capelari.

postheadericon O que uma família precisa para ser feliz?


TEXTO: Jó 1. 1 – 5.
1. Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal. 2. Nasceram-lhe sete filhos e três filhas. 3. Possuía sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas; era também mui numeroso o pessoal ao seu serviço, de maneira que este homem era o maior de todos os do Oriente. 4. Seus filhos iam às casas uns dos outros e faziam banquetes, cada um por sua vez, e mandavam convidar as suas três irmãs a comerem e beberem com eles. 5. Decorrido o turno de dias de seus banquetes, chamava Jó a seus filhos e os santificava; levantava-se de madrugada e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles, pois dizia: Talvez tenham pecado os meus filhos e blasfemado contra Deus em seu coração. Assim o fazia Jó continuamente.
Apesar da tragédia que marca a história desta família (Jó 1. 18 e 19), vemos que enquanto puderam, eles viveram felizes. Na realidade, não podemos deixar que os fatos que ocorreram, ofusquem nossa visão quanto à benção que era essa família. Os poucos relatos que temos da família de Jó, nos mostram o quanto essa família era unida, feliz e também, diferente de outras famílias da história bíblica. Eles se cuidavam, se abençoavam, se completavam como família.Os irmãos homens, cuidavam das irmãs mulheres, as incluíam em seu meio social, fazendo com que ninguém ficasse de fora das bênçãos e das alegrias daquele núcleo família. Porém, não foi somente isso que fazia daquela família uma família feliz, pelo contrário, alguns detalhes, alguns ensinamentos surgem para explicar o sucesso desta família, e é sobre isso que falaremos neste momento, tirando um exemplo para nossa família.
O que uma família precisa para ser feliz?
Para ser feliz, uma família precisa de:
1º) BOM AMBIENTE FAMILIAR.
Um bom ambiente é imprescindível para que uma família seja feliz. Não tem como manter a harmonia, a paz, a tranquilidade e o prazer de estar dentro do lar, se neste lugar não tiver um bom ambiente. Ao olharmos o relato do cotidiano dos filhos de Jó, podemos perceber que este bom ambiente havia no seio desta família. Observe o relato: “Seus filhos iam às casas uns dos outros e faziam banquetes, cada um por sua vez, e mandavam convidar as suas três irmãs a comerem e beberem com eles”. (v. 4) Ao fazer esse comentário, o escritor do livro de Jó, se preocupa em relatar o quanto o ambiente familiar era saudável entre eles, isso para justificar que não haviam motivos para os mesmo serem vítimas do acidente que os vitimou, e também para dizer o quanto essa família era feliz. Se temos o desejo de aperfeiçoarmos nossa família, de termos uma família, um lar feliz, precisamos produzir um ambiente feliz, ou seja, devemos proporcionar paz, tranquilidade, segurança para os nossos familiares. Cabe a cada um de nós, contribuir para que o ambiente em nossas casas seja o melhor possível, para isso, precisamos ser cordiais, amáveis, educados, sinceros, apaziguadores, assumindo a responsabilidade de que nossa casa seja feliz.
Para ser feliz, uma família precisa de:
2º) DEVOÇÃO E TEMOR A DEUS.
Outro princípio que leva felicidade a uma família é o princípio da devoção e temor a Deus. Uma família aos pés do SENHOR é uma família feliz. Este princípio é observado na família de Jó, vejamos o relato: “Decorrido o turno de dias de seus banquetes, chamava Jó a seus filhos e os santificava; levantava-se de madrugada e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles”. (v.5) Jó sabia que na busca de um bom ambiente, seus filhos as vezes poderiam cometer excessos, poderiam extrapolar nas comemorações, poderiam agir de forma incoerente com sua religião, sua crença. Sendo assim, Jó observava o ritual de purificação para a sua família, proporcionando para eles não somente um bom ambiente, mas também um ambiente santificado, demonstrando sua devoção e o seu temor ao SENHOR. Essa busca de santidade deve ser percebida em nossas casas também, esse anseio pela presença de Deus deve existir em nossos lares, a presença do SENHOR deve ser percebida em nossos lares. Precisamos também ter o temor do SENHOR em nossas vidas, para que detalhes menores, ou pecados de menores proporções sejam percebidos, e assim, sejam confessados e perdoados por Deus. Jó demonstra essa preocupação, esse temor, como podemos observar nessa sequencia, ”pois dizia: Talvez tenham pecado os meus filhos e blasfemado contra Deus em seu coração. Assim o fazia Jó continuamente”. Talvez seus filhos nem tivesse se excedido, nem tivesse pecado, mesmo assim, Jó como patriarca, como responsável por sua família, se adiantava em confessar e sacrificar diante de Deus, expressando sua devoção e seu temor. Nós também precisamos orar por nossas famílias, cuidar da harmonia espiritual de nosso lar, orando por nossos cônjuges, nossos filhos, netos, parentes e até amigo, observando a prática devocional da intercessão. Cabe a cada um de nós, expressarmos devoção e temor de Deus, sendo exemplos, suporte e apoio de nossa família, buscando na devoção e no temor do SENHOR o sucesso e a felicidade do nosso lar.
Para ser feliz uma família precisa de:
3º) VALORES ETERNOS DO REINO.
Outro princípio importante para fazer uma família feliz, é conservar e praticar os valores eternos do Reino, ou seja, é viver dentro de nossas casas como cidadãos dos céus, como eleitos em Cristo, como salvos no SENHOR. Na família de Jó vemos estampado também esse princípio, pois a atitude destas pessoas demonstravam seus princípio e seus valores, vejamos o que a palavra nos diz: “Seus filhos iam às casas uns dos outros e faziam banquetes, cada um por sua vez, e mandavam convidar as suas três irmãs a comerem e beberem com eles. Decorrido o turno de dias de seus banquetes, chamava Jó a seus filhos e os santificava; levantava-se de madrugada e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles, pois dizia: Talvez tenham pecado os meus filhos e blasfemado contra Deus em seu coração. Assim o fazia Jó continuamente”. (vv 4 e 5). Essa vida comunitária, essa inclusão daqueles que eram naturalmente excluídos, aqui nesse caso, as suas três irmãs, essa vida devocional e feliz, tudo isso é um reflexo do que nos aguarda no céu. Nossa vida deve ser assim, um prenuncio do que está por vir, nosso louvor, nossa adoração, deve ser um sinal do que irá acontecer na eternidade, e isso deve ser uma verdade também na vida do nosso lar, na nossa casa. Nossa convivência com nossos amados, com as pessoas que dividem o mesmo teto conosco, deve ser assim, um prenuncio da eternidade, uma anuncio do Reino de Deus. Essa conduta, essa convivência nos leva a testemunhar do amor de Cristo, da sua graça, do seu poder, fazendo com que outras famílias encontrem o caminho de graça do SENHOR. Nossa casa deve ser exemplo de valores para outras famílias neste mundo. A partir de nossa casa, outras pessoas podem ser salvas, podem encontra o caminho, podem aprender a serem felizes. Nossa família deve promover a paz, os bons costumes, a resistência a toda essa brutalidade e violência que existe por ai, deve ser manter casta, pura, longe desta mundanização, dessa secularização da família. Uma família feliz é uma família que vive valores do Reino de Deus em suas vidas.  
CONCLUSÃO:
Apesar de toda a tragédia ocorrida com a família de Jó, podemos tirar dela essas lições maravilhosas, e a partir daí, vivermos como uma família santa e feliz. Busque viver cada dia mais desta maneira e você verá sua família prosperar, alcançando um presente e um futuro feliz.

Em Cristo.
Soli Deo gloria.
Rev. José Ricardo Capelari.

postheadericon A recompensa do bom exemplo!


TEXTO:
3. Dou graças a Deus, a quem sirvo com a consciência limpa, como o serviram os meus antepassados, ao lembrar-me constantemente de você, noite e dia, em minhas orações. 4. Lembro-me das suas lágrimas e desejo muito vê-lo, para que a minha alegria seja completa. 5. Recordo-me da sua fé não fingida, que primeiro habitou em sua avó Lóide e em sua mãe, Eunice, e estou convencido de que também habita em você.
(Gálatas 1. 3 - 5).
Pensar em família é pensar em relacionamento, pensar em convivência, pensar e atitude de vida. A família é o lugar onde tudo começa para o ser humano, onde a vida é formada, onde a pessoa tem início na jornada do que será na vida. Por isso, pensar em família é pensar em exemplo, em conduta, em padrão a seguir. É neste ambiente que o indivíduo terá a base para se tornar um cidadão bom ou mau, bem sucedido ou fracassado. É certo, que algumas vezes, mesmo que este ambiente seja bom e propício para produzir algo bom, ainda sim, nem tudo dá certo, nem todos tem o desfecho de vitória que se é esperado. Mas é certo também, que um bom exemplo, uma boa conduta, é a base certa para se construir uma vida feliz, para se produzir vidas saudáveis, pessoas cidadãs, e cristãos abençoadores. Uma família estruturada, dá ao indivíduo, um alto percentual para se alcançar uma vida bem sucedida e feliz, e é isso que vemos no nosso texto proposto. O Apóstolo Paulo ao escrever a seu discípulo e amigo Timóteo, recorda com alegria e orgulho no seu coração, da boa personalidade, da sincera espiritualidade e do bom caráter deste jovem, ressaltando que isso foi uma herança recebida de sua família, mais precisamente de sua avó Lóide e sua mãe Eunice. Essas mães conseguiram imprimir na vida deste homem, marcas valiosas que o fizeram um homem de Deus, digno de ser lembrado na história da Igreja de Cristo. Foi através do exemplo de vida que estas mães conseguiram produzir isto, e o que a vida destas mães nos ensina?
A vida destas mães nos ensina:
1º) QUE O BOM EXEMPLO VEM DE CASA.
Algo de extremamente valioso que podemos aprender com essas duas mães, é que a força do bom exemplo deve sempre vir de casa. Infelizmente, muitos têm a mania de querer transferir suas responsabilidades de bons pais, boas mães, bons ensinadores, para outras pessoas ou outras instituições. Há pais que transferem sua responsabilidade de exemplos para os professores da escola, ou para a escola em si, esperando que a instituição ensine bons modos e boas condutas aos seus filhos. Há pessoas que usam o ditado: “faça o que eu falo, não faça o que eu faço”. Isso é horrível e desastroso. Essas duas mães nos ensinam que é de casa que se vem o bom exemplo, foram elas, passando de geração em geração, que produziram o bom exemplo que encantou o Apóstolo Paulo. Nós também devemos agir assim, assumindo nosso papel como pais, como filhos, como cristãos, e a partir de cada um de nós, ser produzido o bom exemplo, a boa conduta, que impactam vidas e transformam histórias.
A vida destas mães nos ensina:
2º) QUE BOM CARÁTER NÃO TEM PREÇO.
Outra lição extremamente valiosa para nós, que vem da vida destas mães, é a que não importa o que acontecer, o bom caráter não tem preço. Essas mulheres enfrentaram todas as lutas de sua época, o desafio enorme que era ser mulher no mundo antigo, e transpassaram barreiras, mantendo o caráter e sendo o esteio para a vida de um grande homem de Deus. Numa sociedade historicamente machista como a do primeiro século, onde crianças e mulheres não eram contabilizados, notados, ouvidos, essas duas senhoras se destacam na história do cristianismo, por reproduzirem em Timóteo um caráter exemplar. Devemos manter o bom caráter, independente das situações, independente das provações ou tentações, bom caráter é inegociável, um presente de Deus no momento de nossa conversão, e é inegociável. Para o cristão, é melhor o prejuízo à desonra; é melhor o ultraje a vergonha pela perca do caráter. O Apóstolo Paulo relata as lágrimas vertidas por Timóteo e também sua fé, sem fingimento, sinais de simplicidade e honestidade, marcas de um bom caráter, sinais herdados do caráter de suas genitoras. Nosso caráter é a nossa marca, nossa apresentação diante de Deus e dos homens, por isso, mantê-lo reto e íntegro na presença do SENHOR é algo imprescindível para o bom cristão.
A vida destas mães nos ensina:
3º) QUE O BOM EXEMPLO É COMO O BOM PERFUME: CONTAGIA TODOS AO REDOR.
Nossa terceira lição nos motiva a contagiarmos quem nos rodeia através do bom exemplo, é como o perfume que temos em nós, é nosso, mas contagia a vida de quem está ao nosso lado, de quem passa ao nosso redor. Na realidade, não passamos perfume somente para nós, nunca fazemos isso, passamos, porque gostamos do cheiro e também, porque gostamos dos elogios que recebemos por estarmos cheirosos, por estarmos agradando. Assim também é com o bom exemplo, com a boa conduta, com a forma cristã de se viver. Vivemos nós, mas nosso viver digno de Cristo abençoa a outras pessoas, alcança a outras vidas, faz outros felizes. Estas duas mães, Lóide e Eunice, transformaram seus exemplos em bom perfume, contagiando a vida de Timóteo e também do Apóstolo Paulo, que consegue identificar de onde vem o bom caráter, a boa conduta de Timóteo. Eu e você precisamos transformar nossos exemplos em bons perfumes, precisamos contagiar o mundo com boas condutas, boas maneiras, sabedoria, delicadeza, sensibilidade, carinho, como bons despenseiros do perfume de Cristo. (II Co. 2. 14). Bons exemplos transformam o mundo, transformam vidas, mudam histórias, o exemplo é a vida de Timóteo, que seguindo os passos de sua avó e sua mãe, tornou-se um dos mais profícuos pastores da Igreja primitiva. Nós podemos ser assim também, podemos mudar nossas vidas e também outras histórias, basta somente, assumirmos o papel de despenseiros do bom perfume de Cristo, que se exala através de nossos bons exemplos. Às vezes não é fácil, as vezes custa caro, porém, com nosso esforço, com nossa fé, e acima de tudo, contando com a infalível e inesgotável graça de Deus, podemos encantar o mundo com essa fragrância maravilhosa. Vale a pena tentar!
A vida destas mães nos ensina:
4º) QUE OS BONS EXEMPLO GERAM VIDAS VITORIOSAS.
Nossa última lição hoje é uma motivação para darmos o bom exemplo, a motivação de gerar uma vida vitoriosa. Às vezes desistimos de agir bem, por acharmos que isso não nos levará a nada, por vermos prosperar pessoas más, enquanto nós, na nossa boa conduta, padecemos, lutamos, perdemos, e aparentemente, poucas vezes ganhamos. Na realidade, ter uma boa conduta, dar um bom exemplo quando todos ao redor agem de má fé, parece ser algo mais difícil do que na realidade é, pois como já disse, com a graça de Cristo, somos fortalecidos e capacitados para isso. E quando encaramos esse desafio, quando assumimos este papel, uma das maiores recompensas é o que podemos produzir na vida de outras pessoas, principalmente nos da nossa família, que é uma vida vitoriosa. Lóide e Eunice, produziram a vida de Timóteo, um homem que alicerçado no amor de Cristo, na graça salvadora e nos bons exemplos de suas matriarcas, conduziu o rebanho de Cristo de forma digna e abençoadora. A vida destas mulheres entra então na história do cristianismo por produzir não só uma vida vitoriosa, mas muitas vidas vitoriosas, vida das pessoas que foram impactadas, pastoreadas por Timóteo. Assim também deve ser com cada um de nós. Nossas vidas devem produzir outras vidas em vitória, em bênçãos. Nossos exemplos devem servir de motivação e prática para outras pessoas. Devemos assumir o papel de fazermos discípulo para Cristo, ensinando-os e motivando-os a praticar, todos os mandamentos do SENHOR, perseverando na fé, até que o tempo se complete, Cristo volte, e nós reinemos eternamente em vitória com Ele. Que maravilha será ouvir da boca do SENHOR, no último dia, na hora do acerto de contas: “Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo”. (Mt. 25. 34). E isso ouvirá, quem pagar o preço de dar o bom exemplo, de produzir vidas vitoriosas, de ser para Cristo um soldado valoroso e corajoso. Assuma o seu papel, gere vidas vitoriosas, dê você o bom exemplo ao mundo.
CONCLUSÃO:
Não é fácil ser um bom exemplo em um mundo de tão maus exemplos. Não é fácil ter boa atitude, numa sociedade perversa e destituída de bons valores, realmente não é fácil. Porém, para nós, que temos a graça de Cristo, isso se torna uma obrigação, porém, para nós, há o consolo e o conforto de que o SENHOR nos capacita para darmos o bom exemplo, para gerarmos vidas abençoadas, e para desfrutarmos dos louros de tudo isso na eternidade com Cristo. Vale a pena ser diferente, vale a pena ter boa conduta, vale a pensa pagar o preço!

Em Cristo.
Soli Deo gloria.
Rev. José Ricardo Capelari.

postheadericon ENTRE AMIGOS: Família-Projeto de Deus!

ENTRE AMIGOS: Família-Projeto de Deus!: "'O carcereiro pediu luz, entrou correndo e, trêmulo, prostrou-se diante de Paulo e Silas. Então levou-os para fora e perguntou: 'Senhores, q..."

postheadericon Família-Projeto de Deus!

"O carcereiro pediu luz, entrou correndo e, trêmulo, prostrou-se diante de Paulo e Silas. Então levou-os para fora e perguntou: "Senhores, que devo fazer para ser salvo? Eles responderam: "Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa" (At. 16. 29-31).
Observando esta história de mais uma prisão injusta de Paulo, que aqui estava acompanhado de Silas, chama-me a atenção o trecho que temos descrito a cima.
Quando o carcereiro percebe que a prisão estava aberta, o desespero bate em seu coração e o mesmo pensa em se matar, porém, o Apóstolo Paulo interrompe seu ato, enchendo o coração daquele homem de temor e desejo de salvação. Segue-se a isso a clássica pergunta feita pelo carcereiro: "Senhores, que devo fazer para ser salvo?". Diante dessa pergunta, somos conteplado com uma resposta impressionante: "Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa". A sentença deferida por Paulo não contempla somente o carcereiro, mas também faz alcance a uma parte importante da vida daquele homem, e também importante a nossa vida: A FAMÍLIA. Creia, e além de você, seus famíliares também serão alcançados. Isso é uma maravilha, é tremendo, é grandioso, pois vemos que não somente nós, mas nossas famílias fazem parte do projeto de Deus. 
E dentro desta ótica divina, podemos ver a importância dada ao projeto familiar, o amor de Deus que nos alcança e se estende sobre a nossa casa, e dentro desta perspectiva, podemos observar algumas coisas interessante sobre a família.
1º) A FAMÍLIA É ALVO DA PROMESSA
"Creia ... e serão salvos"
Quando o Apóstolo Paulo responde ao anseio do carcereiro sobre a salvação, sua família é inclusa no mesmo plano. Paulo indica que Deus além de alcançar ao indivíduo, faz uma promessa de também salvar sua família. A história do povo de Deus, revela-nos alguns episódios com os mesmo desfechos, mosntando-nos que Deus tem planos para seus servos e promessas para suas famílias. Alguns exemplos: Gn. 12. 1- 3; II Sm. 7. 16.
Creio que Deus tem uma promessa para sua família também, que completar a benção da salvação dentro do seu lar, na sua casa, na vida de seus pais, filhos, cônjuge, parentes, creio que Deus lhe dá a benção da vitória eterna, e ainda estende essa graça sobre os seus.
2º) A FAMÍLIA É FRUTO DA FÉ.
"Creia ... e serão"
O "start" que desencadeou esta promessa estava condicionada a fé..."Creia", e foi a partir dai que as coisas começaram acontecer. Ao demonstrar a sua fé, o carcereiro foi alcançado pela graça salvadora de Cristo, e viu sua família desfrutar da promessa da salvaçã. Da mesma forma, precisamos ter fé para vermos o SENHOR executar em nossas vidas as Suas promessas e Suas vontades. Ao desfrutarmos do poder da fé me Cristo Jesus, desfrutamos também das maravilhas que Jesus tem para a nossa casa. Precisamos crer, precisamos exercitar nossa fé, de forma que não somente nós, mas nossa casa experimente o melhor do SENHOR em sua existência.
3º) A FAMÍLIA É UM OBJETIVO MISSIONÁRIO.
""Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, VOCÊ e os de SUA CASA""
Quando o Apóstolo Paulo expõe o plano de salvação para o carcereiro, o plano não fica restrito somente ao indivíduo, ou seja, a ação missionária, de proclamação das Boas Novas, não se detém somente ao bem estar do invíduo, tanto porque, sem o bem estar da família, o indivíduo não consegue ou não tem condições de esta bem, desta forma, Paulo oferece a graça de Cristo ao carcereiro e também a sua casa, sua família. Que maravilha é saber disso, que bom é saber que Deus tem propósitos missionários, de salvação para as pessoas que mais amamos. Que bom é saber que nossa casa, nosso aconchego, nosso porto seguro faz parte dos planos missionários do SENHOR, por isso, esforce-se para testemunhar para os seus, para levar as Boas Novas para as suas vidas, e creia no milagre acontecendo no seu lar.
 
CONCLUSÃO.

A família é o alicerce da sociedade, todos os disturbios sociais que presenciamos hoje, são influência da desestruturação familiar, do empenho satânico de derrubar as estruturas familiares, sendo assim, cabe a nós, servos tementes do SENHOR, buscarmos o fortalecimento deste núcleo tão primordial da sociedade. Creia que a família tem sobre si uma promessa, creia também que pela fé, sua família pode ser abençoada, e por fim, trabalhe sua família como seu maior campo missionário, desta forma, você e sua casa experimentarão o melhor de Deus para suas vidas.

Em Cristo.
Pr. José Ricardo Capelari
Ocorreu um erro neste gadget

Você é nosso visitante

Obrigado!

Seguidores

Voltemos ao Evangelho

Diga não a essa atrocidade!

Diga não a essa atrocidade!
Pedofilia é crime!

Afiliado a UBE



Sociedade Calvinista

Bases da Reforma

Bases da Reforma
Valores da liberdade protestante

Dicionário Hebraico

Tradutor Online
Desenvolvido por Alexandre Rossi. Tecnologia do Blogger.

Siga-me no Twitter

Siga-me no Twitter
twitter.com/_capelari

Vale a pena ler!

  • O Livro mais mal humorado da Bíblia - Ed René Kivitz
  • O discipulado dinâmico - Kuhne
  • Religião, uma bandeira do inferno - Glenio Paranaguá
  • Cruz Credo, o credo da cruz - Glenio Paranaguá
  • Ponha ordem em seu mundo interior - Gordon McDowell
  • Corra com os cavalos - Eugene Peterson
  • Pastoreando a Igreja - Joseph Stowell
  • Liderança em tempos de crise - Charles Swindoll
  • Bíblia Sagrada - Todas edições
  • Revista Ultimato

Click na imagem e ouça a rádio da Igreja Presbiteriana do Brasil

IPB - Rádio & TV

IPB - Rádio & TV
Todas as quartas-feiras pela RTV Canal 10 às 20:00hs para Maringá e região. Click e acesse o conteúdo on line

Conheça a PL 22

NÃO À PL 122